Antes de chegar na etapa derradeira no Havaí, a Liga Mundial de Surfe (WSL) já tem a sua campeã: Tyler Wright. Depois de bater na trave duas vezes ao ser vice em 2013 e 2014, a australiana de 22 anos, enfim, colocou seu nome na história do esporte. O título veio nesta quarta-feira, em Hossegor, França, quando Tyler passou pela “Havaiana-Gaúcha” Tatiana Weston-Webb na semifinal, e a número 2 do mundo, Courtney Conlogue, caiu diante de Carissa Moore na mesma fase. A derrota na decisão pouco interferiu na festa de Tyler, que celebrou muito o inédito título, mesmo com o vice da etapa de Hossegor.

A surfista de Culburra Beach, costa sudeste australiana, engrossou ainda mais a hegemonia do país no esporte. A Austrália tem 22 títulos em 42 temporadas. Oriunda de uma família que respira o esporte (todos os seus quatro irmãos vivem do surfe), Tyler dividiu com o irmão mais velho Owen a dor de uma lesão que o tirara de todas as disputas pelo CT deste ano. Do imprevisto veio parte da força motriz, e o título passou a ser uma obsessão.

– Dedico esse título a ele. Meu irmão e a minha família são o que tenho de mais importante na minha vida, e a alegria que estou sentindo é até difícil de narrar – disse Tyler Wright, que saiu da água nos braços da torcida francesa após a confirmação do título.